Website elaborado por Reparaqui                                                                                                                                                      APPACDM 2016 - Todos os direitos reservados

APPACDM está a crescer assim como este WebSite Brevemente mais novidades
SEJA SÓCIO - Faça o download do ficheiro pdf e envie preenchido para ajudar a crescer a APPACDM ( Quota mínima anual 12€ )

NORMAS GERAIS DE ADMISSÃO/SELECÇÃO

1. Ter deficiência mental

2. Ser residente nos concelhos da Trofa ou de Santo Tirso.  

3. Os pais/encarregados de educação/tutores da criança, jovem ou adulto têm de ser associados da APPACDM da Trofa, realizando o pagamento de uma cota anual.

4. A criança, jovem ou adulto deve ser sujeita a uma avaliação psicológica e a uma avaliação social.

5. O processo é remetido à Direcção da Instituição que, após reunião com a equipa técnico - pedagógica, emite um parecer decisório.

6. O parecer da Direcção, bem como as condições e datas de admissão são comunicados aos proponentes.


OBJECTIVOS GERAIS

- Promover a integração do cidadão com Deficiência Mental pelos princípios da normalização, individualização e bem-estar;

                - Promover o equilíbrio familiar;

   - Promover e defender os interesses e responder às necessidades do cidadão com Deficiência Mental na instituição, no trabalho, na família e na sociedade tendo como princípios básicos:

a) Partilhar lugares comuns;  b) Saber decidir;    c) Desenvolver capacidades    d) Ser tratado com respeito e valorizado socialmente;

e) Desenvolver o seu campo relacional;

- Promover actividades culturais, recreativas, desportivas de lazer e tempos livres;

- Motivar as famílias para a defesa dos direitos dos seus familiares, fazendo-os assumir a responsabilidade que lhes cabe na direcção de uma perspectiva de educação permanente, na escola e na família,

- Sensibilizar e co-responsabilizar a sociedade e o estado das funções que lhes cabem na satisfação dos problemas do Cidadão com Deficiência Mental e suas famílias;

- Lutar pela adequação da legislação portuguesa e comunitária no sentido de serem reconhecidos e respeitados os deveres e direitos do Cidadão com Deficiência Mental;

- Promover a realização de acções de formação internas e externas a todos os funcionários, de acordo com necessidades pontuais, tendo como fim a qualidade do atendimento a prestar, bem como visitas a outras associações no país e sempre que se proporcione no estrangeiro.